Clipping: O que é, como funciona e qual a sua importância

O ‘clipping’ é a monitorização constante de todo o conteúdo jornalístico, nos meios digitais ou não, a respeito da sua empresa e da sua área de atuação. Esta ferramenta pode ajudar a traçar as melhores estratégias para trazer (os melhores) resultados ao seu negócio.

Numa empresa, independentemente do setor, é importante conhecer as principais estratégias de marketing que permitam perceber sobre a sua área de atuação e a imagem do negócio perante o mercado. A possibilidade de ficar a par das principais tendências relacionadas com o seu nicho é também uma grande vantagem.

Por isso, vamos revelar alguns segredos sobre o clipping, e qual a melhor forma de monitorização, para conseguir analisar o que é de facto relevante para a sua organização.

Hoje em dia, com alguns cliques e ferramentas, é possível ter acesso a qualquer citação feita a uma empresa, pessoa ou blog.

Este mapeamento é extremamente importante, entre outros motivos, para entender a visão externa a seu respeito, o que faz a concorrência e, ainda, evitar possíveis crises de imagem.

Como é que o clipping pode dar vantagem competitiva?

Se estiver a par do que se diz da sua marca, saberá, com certeza, como contornar os problemas, ou então manter e melhorar a sua imagem. Além disso, um clipping bem estruturado pode oferecer algumas outras vantagens.

A primeira delas é o conhecimento a respeito do seu público. A imprensa tem uma capacidade ainda muito forte de contribuir para a formação da opinião das pessoas.Mas com as redes sociais e a facilidade que qualquer pessoa tem em se posicionar a respeito de uma marca ou uma experiência de compra, o processo ganhou duplo sentido, em que muitos meios de comunicação observam o comportamento das pessoas nas redes, para criar artigos.

Desta forma, e reunindo esses artigos, pode ter em mãos valiosas informações a respeito do comportamento e do perfil do seu público.

Além disso, com a facilidade de se criar clippings digitais, muito maior que na era offline, pode também pesquisar a respeito dos seus concorrentes, saber a opinião das pessoas, sejam positivas ou negativas.

Como usar este aliado da estratégia digital

  1. Utilize palavras-chave (keywords)

São essenciais para o seu clipping, pois vão permitir traçar o que de facto interessa ao seu negócio e, muito provavelmente, isso vai ajudá-lo a tomar decisões.

Por exemplo, uma empresa de marketing digital precisa estar atenta às principais tendências do mercado, aos algoritmos das principais redes sociais (Facebook, Instagram etc.) e à maneira com a qual o Google interpreta e atribui um ranking aos conteúdos.

É importante estar atento e ter a preocupação, por exemplo, se a sua empresa tem um nome comum ou que traz outros resultados que pouco têm a ver com o seu âmbito de negócio.

 

  1. Monitorize meios offline

Apesar de os meios offline terem perdido um pouco de espaço para os meios digitais, não se esqueça deles. Eles ainda têm um grande impacto entre os consumidores que, muitas das vezes, ainda recorrem a este método para se manterem atualizados sobre um determinado assunto.

 

  1. Avalie as redes sociais

Além de ser muito mais simples encontrar os assuntos pretendidos (ferramentas de busca, uso de hashtags etc.), existe a oportunidade de encontrar informações valiosas sobre o seu nicho, as tendências e a sua empresa.

A forma como ela é vista pela concorrência e pelos próprios clientes também deve ser considerada, uma vez que vai permitir aperfeiçoar determinadas estratégias que não têm trazido muitos resultados ou que estejam a gerar impacto negativo perante o seu público.

As palavras-chave serão fundamentais para esse processo, com o objetivo de encontrar exatamente aquelas informações que terão funcionalidade para as suas ações.

 

  1. Não ignore as notícias negativas

As notas negativas relacionadas ao seu negócio ou ao modo como as pessoas veem a sua empresa são importantes, para que a sua estratégia possa levar isso em consideração, com o objetivo de trazer visibilidade positiva para a sua marca e aperfeiçoar aqueles pontos que não estão a ter um bom retorno.

 

  1. Faça relatórios

De nada adianta reunir todas essas informações, se não analisar os relatórios gerados e não organizar esses dados. Hoje, já existem plataformas e ferramentas que permitem a automatização deste processo, contribuindo para a otimização do tempo. A mais simples é o Google Alerts, que é uma ferramenta que envia para o seu e-mail as citações sobre uma palavra-chave e as fontes. O Google sabe tudo!

Tem apenas que selecionar uma palavra-chave (lembre-se de ser específico), e pode selecionar a frequência com que receberá os mails, as fontes (blogs, vídeos, notícias), o idioma, o local e a qualidade dos resultados, que são classificados pelo próprio Google

Além dessa, que é uma ferramenta mais genérica e gratuita, existem outras específicas para a montagem de clippings profissionais e completo, como o Favebucket, que é uma plataforma americana paga, mas muito completa; ou o Evernote Web Clipper, excelente ideia para quem já usa o Evernote, que permite a captação de páginas enquanto navega pela web.

O ideal é perceber qual ferramenta mais condiz com a sua necessidade, para tornar o trabalho mais prático e eficiente.

Definir o objetivo inicial é indispensável para que o clipping tenha foco. Assim, é possível destinar menos tempo à tarefa e garantir muito mais eficácia nos resultados. Quanto mais assertividade, melhor!

Partilhar nas redes sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Estou pronto para trabalhar com a Archilike!